Generosidade Contagiante

A Comunidade de Galba - do ROVER Regional de Braga (2008) - desenvolveu, como projecto comunitário na primeira fase deste caminhada da IV, o apoio a um casal do lugar de Casais de Vide (Aboim da Nóbrega), concelho de Vila Verde, na construção de uma casa de banho.
Este poderia ser um projecto de serviço como qualquer outro não fossem alguns simples pormenores que apesar de simples, fazem toda a diferença.
Destes, destaco dois... a envolvente e a aprendizagem.

Quem como eu, teve o privilégio de marcar presença na obra que Galba assumiu levantar, não creio que fosse possível, não se deixar contagiar por todo o espírito de querer participar, de se querer dar mais a este pequeno e grandioso projecto. Seria difícil, não repetir, e repetir a experiência, quando se percebe que não se está apenas a fazer uma Boa-Acção, a ser caritativo ou solidário... Quando entendemos que estamos a proporcionar condições que temos como básicas no nosso dia a dia, como nos lavarmos, é fácil perceber que só pode ser num espírito de grande humildade que entramos na casa do Ti Quim para partilhar a alegria de completar o seu lar. Se a tudo isto juntarmos a admirável beleza de toda a envolvente, limitada na linha que divide o céu e os montes e que abraça aquelas casas de pedra onde se vive debaixo de telha... se vive humildemente com uma simplicidade tão grande como a própria natureza que lhes invade a casa, então qualquer fotografia que pudessemos imaginar, se torna viva e real. Tudo ali é diferente, e se nos deixarmos contagiar por tudo, vemos que as trivialidades tecnológicas, as práticas mundanas, os olhares egocêntricos,... rapidamente passam para o cortex das memórias esquecidas. É como se tudo ali nos agarrasse à terra e nos fizesse sentir parte dela. É lindo e só experimentando, compreendemos como se pode viver ali e ser feliz... mesmo com nada.

Mas de uma experiência, destas, com o tanto que se pode retirar e aprender, salta-me, escutisticamente, uma avaliação... Quando queremos, somos capazes de arranjar tempo para os outros.
É certo que neste caso, o compromisso assumido, implicava que se levasse o projecto até ao fim... comprometermo-nos implica essa responsabilidade... ainda que nem todos o tenham entendido assim. Mas aqueles que ficaram souberam dar uma resposta mais consciente ao apelo que lhes foi feito e, nesse sentido mostraram que é possível. Acredito que todo o ambiente que descrevi atrás, tenha contribuído para isso e para que eles se superassem a eles próprios, mesmo com algum prejuízo para as suas vidas pessoais. Creio que Deus os saberá recompensar extraordinariamente por isso e espero que eles se sintam suficientemente iluminados para o sentir. A verdade é que eles tiveram a coragem de deixar bastantes vezes o 'Agora tenho de estudar', o 'Hoje não posso',... de lado para tornar o sonho do Ti Quim uma realidade.

Uma realidade a ser inaugurada no dia 17 de Janeiro :)

photo: castorpioneiro

4 comments:

At domingo, 11 janeiro, 2009 jmsc said...

"Deus quer, o Homem sonha, a obra nasce"... sinto eu que assim foi e a obra passou do querer, do sonho e rapidamente nasceu e cresceu :-).
Tive o privilégio de, várias vezes, ouvir alguns escuteiros falar (com orgulho e alegria) tanto da obra que decidi ir ver como é que uns "escuteiritos", sem grandes conhecimentos na área, se dão, de modo tão puro e genuíno, simplesmente para proporcionar a alguém melhores condições de vida. Mesmo ao nosso lado há gente que vive com tão pouco e nós, no nosso dia-a-dia, vivemos tão atarefados, tão envolvidos com coisas, por vezes, tão insignificantes que não damos o devido valor e agradecemos o muito que temos.
Ter tido a oportunidade de ter participado e partilhado uma ínfima parte deste grandioso projecto faz de mim, sem dúvida, uma pessoa privilegiada.
Há locais cuja beleza, por muito que tentemos descrever, nunca o conseguiremos fazer na plenitude... seremos sempre pequenos/as e parcos/as em palavras. O mesmo sucede com muitas outras coisas na vida e também com muitos/as dos/as que nos rodeiam (ainda bem que assim é :-). O nascimento e crescimento desta obra é um destes casos: um local maravilhoso, uma actividade escutista não menos grandiosa e gente boa envolvida.

Os meus sinceros parabéns a quem idealizou esta actividade no seu todo, a quem acreditou neste projecto, a todos os que nele participaram e, em especial, àqueles que nunca (ou poucas vezes!) duvidaram da capacidade de levar em frente a missão que lhes foi confiada.
Em início de ano... que esta inauguração seja um bom prenúncio para o que 2009 nos trará...

"Agora sim, damos a volta a isto!
Agora sim, há pernas para andar!
Agora sim, eu sinto o optimismo!
Vamos em frente, ninguém nos vais parar!

Agora sim, temos a força toda!
Agora sim, há fé neste querer!
Agora sim, só vejo gente boa!
Vamos em frente e havemos de vencer!

Agora sim, cantamos com vontade!
Agora sim, eu sinto a união!
Agora sim, já ouço a liberdade!
Vamos em frente, é esta a direcção!"

 
At quarta-feira, 14 janeiro, 2009 PanteraÁgil said...

Muitos orgulham-se do "Sempre Alerta para Servir", e fazem questão de o apregoar aos 4 ventos. Mas o seu serviço é um serviço pessoal, para enaltecer o ego, o seu próprio orgulho...

Este tipo de serviço praticado por estes caminheiros, é um exemplo do verdadeiro serviço. O servir por servir, e nada mais do que isso! Um verdadeiro hino à nossa promessa, ao nosso compromisso, ao nosso ideal!

Saem mais fortes, mais ricos, mesmo que não o saibam nem o sintam.

 
At quarta-feira, 28 janeiro, 2009 Joana said...

que boa surpresa!
apesar de todas as contrariedades concluiu-se a empreitada. parece que foi lançada a primeira pedra...projectos como estes são possíveis!

 
At quarta-feira, 28 janeiro, 2009 Filipa - montariol said...

são possiveis SIM !
por muitas criticas, por muito gozo que nos tenham dado,.. estivemos lá. Fizemos tudo, desde o buraco à limpeza de ultima hora na sexta à noite antes da inauguração.
o cansaço tomou conta de nós, é verdade.., mas a felicidade, o orgulho, as lágrimas de começou que invadiram a Ti Laurinda e mesmo o durão do Ti Quim, acho que nos mostraram a verdadeira recompensa de tantas dores de corpo e de cabeça. o serviço foi mais forte, o termos contribuido para um avid amelhor, um mundo um pouco melhor, não com luxos, mas um pouco melhor, foi uma verdadeira recompensa :)

 

Enviar um comentário